Viver é ter e seguir um propósito. Isso é tudo!

por Karen Padilha

Acredito que todos os seres humanos buscam sabedoria e conhecimento para que possam sobreviver no planeta terra. Posso até dizer que o elemento que estimula o ser humano a ter e seguir um propósito  é a sobrevivência. 

Como sobreviver como um indivíduo quando o objetivo da vida pode ser considerado como uma sobrevivência infinita?

Em quantos aspectos da vida podemos encontrar coisas, pessoas, outras formas de vida que estão fazendo a mesma coisa? Sobrevivendo.

Quantas coisas você pode observar que estão sobrevivendo? 

Nessa busca para sobreviver encontramos diversas características de indivíduos distintos, uma característica de sobrevivência pode não ser a mesma para o outro. Assim como tudo o que existe, nada é igual, somos todos diferentes e funcionamos de diferentes formas, embora o objetivo seja o mesmo. 

Estive pensando muito sobre esse assunto nos últimos dias, eram tantas idéias correndo em direções diferentes na minha cabeça que deixei o silêncio tomar conta e me dar as respostas que procurava ou melhor discernimento para entender .

Vivemos em uma sociedade na qual é preciso sobreviver como um indivíduo, sobreviver em grupos, sobreviver no trabalho, sobreviver na vida em família, e pode ser que essa carga que temos de que é preciso sobreviver nesses vários aspectos citados nos faça paralisar, e ai começam as questões existenciais. 

O que estou fazendo aqui?

Porque preciso fazer isso?

Porque preciso participar de um grupo social?

Porque preciso agir para sobreviver?

Porque preciso ” sobreviver”?

Essas foram as questões que eu fiz a mim mesma. 

Minha resposta e interesse pessoal pelo qual eu sobrevivo todos os dias é e sempre foi um só. 

Buscar o máximo de conhecimento sobre a vida, o mundo, as pessoas, e sobre mim mesma. Em outras palavras buscar o autoconhecimento que nos guia para o caminho da auto- realização como indivíduo. 

Nunca parar de nutrir minha alma e meu ser com mais e mais conhecimento e sabedoria, fazer com que meu ser seja usado para levar o que tenho dentro de mim para outras pessoas e para o mundo. Não ser mais uma alma encarnada, e sim fazer parte daquele pequeno grupo de pessoas que lutam para que o mundo acorde, desperte sua consciência de que se continuarmos lutando pela sobrevivência da forma que estamos fazendo, destruindo a natureza, discriminações raciais, sociais, cegos pelo poder material e tantas outras coisas, essa luta será em vão porque destruiremos nosso planeta e caminharemos para a extinção da raça humana. 

Sobreviver é o objetivo, mas que seja feito da maneira correta, pensando na sobrevivência do mundo como um todo, afinal estamos todos conectados, somos todos iguais e só teremos a capacidade de entender isso quando o despertar da consciência acontecer.

“O importante é quanto serviço você pode dar ao mundo e quanto melhor você pode fazer as coisas. Essas são coisas importantes. Estes são todos que são importantes. Uma conta bancária nunca mediu o valor de um homem. Sua capacidade de ajudar medido seu valor e isso é tudo. Uma conta bancária pode ajudar uma pessoa a ajudar, mas onde ela deixa de fazer isso se torna inútil ”. – L. Ron Hubbard

Karen Padilha natural de Cotia-sp , formada em Introdução a Filosofia ( University of Edinburg – Londres), Introdução a Psicologia ( University of Toronto), Origens da vida no contexto cósmico (USP) e Inglês ( Mayfair School of English- Londres). Áreas como filosofia, psicologia e astronomia são fontes de inspiração para seus projetos.  Acabou de de escrever seu primeiro livro que, em breve, estará disponível nas livrarias: ‘’ O que fizeram de mim? Reflexões sobre traumas e transformações”. 

Imagem: Pexels

Deixe uma resposta

*