“Quando minha escolha é consciente, nenhuma repercussão me assusta. Quando não é, qualquer comentário me balança”. (José Eustáquio)

por Karen Padilha

Depois de uma noite com muitas tentativas para conseguir dormir e todas elas fracassadas,  recorrendo a  remédios e mesmo assim não conseguindo, o dia finalmente  amanheceu e estou incrivelmente me sentindo muito positiva e acreditando que meu dia será incrível mesmo que não tenha dormido nada. 

Passei a noite lendo, escrevendo, chorando, pensando, me questionando e disse a mim mesma que iria fazer algo além de simplesmente dormir o dia todo como estava fazendo hà alguns dias, que iria parar de me vitimizar pelos acontecimentos que atualmente me tiram o chão. E vou parar de me auto-destruir.

Um pensamento positivo e um sentimento de querer mudar, sair dessa bolha que esta me esmagando faz toda diferença. Independente do cansaço ou de qualquer coisa. 

Tenho tantas coisas para fazer, compromissos adiados, alguns nem respondidos, contratos que preciso assinar e estou adiando tudo isso porque preferi ficar sofrendo e me vitimizando. 

Preciso correr atrás, fazer as coisas acontecerem e sairem do papel, afinal de contas minha meta não é ficar escrevendo neste meu site e em alguns outros, eu quero muito mais que isso. Tenho de fazer meu livro deslanchar, e criar outros, ir atrás do meu propósito e não ficar esperando que a coisas aconteçam sozinhas, porque elas não vão.

Todos nós passamos por isso, noites mal dormidas, momentos em que escolhemos nos vitimizar do que ser mais forte  que esse sentimento que nos faz sentir assim. 

Mas chega a hora em que acordamos, enxergamos que não podemos agir desta forma, que precisamos agir agora , sem mais delongas. Conquistar nosso lugar. 

Acredito que esses momentos existem como uma oportunidade de provarmos que somos mais fortes e corajosos. 

Se temos algum problema , é porque somos capazes de resolvê-lo.

Primeiro passo é saber qual é esse problema, admitir sua existência. Pensar nas ações que tivemos até agora perante a ele,  estávamos agindo repetitivamente  para tentar solucioná-lo?. Se o primeiro pensamento que tem quando se fez essa pergunta foi sim, essa é a oportunidade que a vida esta lhe dando para que possa agir de forma diferente porque não adianta ficar dando murro em ponto de faca não é mesmo?

Não tem idéia de como fazer isso?

Bem, tenha calma, respire e tire um tempo, o mínimo que seja e pense sobre este problema e como pode agir de forma diferente. Reflita, entre em contato com seu eu-interior e busque essas respostas, tenho certeza de que vai encontrar.

Muitas vezes olhamos nossos problemas de fora, externamente e nos esquecemos de nos voltarmos para dentro de nós e na maioria das vezes a resposta que procuramos esta ali, em nosso interior.

Sempre escrevo meus textos a partir de experiências por mim vividas, não todos , mas 80% sim. 

Os últimos 8 dias foram bem difíceis para mim, embora me fizeram refletir muito sobre o que esta acontecendo e o que eu posso fazer para não agir da mesma forma como sempre faço . 

Entrei em contato com meu interior muitas vezes e as respostas que procurava por mais cruéis sejam para mim estavam lá. É claro que sofri muito, pois o sofrimento é inevitável algumas vezes, como disse anteriormente me entreguei a ele e fiquei paralisada. No entanto, agora que tenho consciência do que devo fazer escolhi deixar esse sofrimento e agir para que as coisas possam melhorar. 

O sofrimento é inevitável , mas é uma escolha nossas permanecer nele ou não. 

Temos o poder de escolha em todos os aspectos das nossas vidas, então porque escolher permanecer naquilo que nos faz mal se podemos agir para melhorar?

Lembre-se de que você é o autor da sua vida, e tudo o que acontece nela não depende de ninguém a não ser você mesmo.

Tome o controle da sua vida e suas escolhas.

Imagem da capa: Pexels

Karen Padilha natural de Cotia-sp , formada em Introdução a Filosofia ( University of Edinburg – Londres), Introdução a Psicologia ( University of Toronto), Origens da vida no contexto cósmico (USP) e Inglês ( Mayfair School of English- Londres). Áreas como filosofia, psicologia e astronomia são fontes de inspiração para seus projetos.  Acabou de de escrever seu primeiro livro que, em breve, estará disponível nas livrarias: ‘’ O que fizeram de mim? Reflexões sobre traumas e transformações” .

 

 

 

Deixe uma resposta

*