”É preciso ter ainda caos em si para poder dar à luz uma estrela dançante ”. Nietzsche

 

por Karen Padilha

Esse final de semana decidi tomar a decisão de me reconectar, de reencontrar minha essência maior. Aquilo que faz a pessoa que sou e acreditar nas minhas crenças mais profundas e na maior delas que é o AMOR. 

Me desconectei de tudo e todos, não comuniquei ninguém que considero importante na minha vida que estaria fazendo isso. Apenas me dei um tempo sozinha, sem ninguém tentar falar comigo, sem eu falar com ninguém. Precisava apenas do silêncio mais profundo da minha alma, acessar aquilo que havia perdido por circunstâncias da vida. 

Há alguns meses atrás fiz um treinamento sobre autoconhecimento e sai de lá uma pessoa mudada e pronta. 

Acontecimentos após esse curso me fez esquecer tudo o que tinha aprendido e o mais importante, esqueci quem sou, minha missão, minha essência, meu amor, meu propósito. 

Escolhi vir para um lugar rodeado de natureza, passei o dia em contato com ela, observando a vida, o mundo, as pessoas, observando meu silêncio e o que ele queria me dizer. Colocando em ação pensamentos e sentindo emoções que eu quero para minha vida, pedindo ao universo que eu de fato reencontre e me conecte novamente com a minha essência que é a coisa mais importante da minha vida. 

Acredito que muitas pessoas falam sobre esse tipo de assunto , postam fotos, fingem ser profissionais “personal coach “ sem nenhum tipo de conhecimento e apenas porque está na “modinha”, postar fotinhos com mensagens positivas e etc. 
Mas ajudar as pessoas vai muito além disso, primeiro você tem que ajudar a si mesmo, e é isso que busquei esse final de semana. 

Minha essência é o amor, e todos sabem disso, é propagar isso e agora estou mais pronta do que nunca. 

Por essa experiência ter sido tão especial e pessoal, eu pensei por muitas vezes compartilhar disso ou não. 

Decidi compartilhar porque é isso que eu quero fazer, passar vivências minhas para que as pessoas possam ler, talvez alguém precise exatamente disso, do que vivi e não sabem como. 

Precisamos sempre buscar o que se perdeu em nós de alguma forma, encontrar um jeito porque é isso que dá sentido para nosso ser, para nossa vida, nossa missão e propósito na terra, e porque nada melhor do que saber e poder sentir nossa verdadeira essência todos os dias.

Gratidão pela vida e universo ⭐️.

Lembre-se “ é preciso ter ainda caos em si para poder dar à luz uma estrela dançante “ . Nietzsche

Karen Padilha natural de Cotia-sp , formada em Introdução a Filosofia ( University of Edinburg – Londres), Introdução a Psicologia ( University of Toronto), Origens da vida no contexto cósmico (USP) e Inglês ( Mayfair School of English- Londres). Áreas como filosofia, psicologia e astronomia são fontes de inspiração para seus projetos.  Acabou de de escrever seu primeiro livro que, em breve, estará disponível nas livrarias: ‘’ O que fizeram de mim? Reflexões sobre traumas e transformações”. 

Imagem: Pexels

Deixe uma resposta

*